Terça, 24 Novembro 2020
Égua, mano!
Entretenimento. Esqueça o resto.
DIA DAS BRUXAS HALLOWEEN LENDAS AMAZÔNICAS ASSOMBRAÇÃO

Halloween: veja lendas e histórias de assombração que estão no imaginário amapaense

Selecionamos as melhores histórias para arrepiar o seu Dia das Bruxas (31); confira!

Jessica Alves - 31 de Outubro de 2020

Que amapaense não cresceu ouvindo histórias sobre as temidas “visagens”, como são conhecidas as assombrações na linguagem nortista? Sem dúvida, os “causos” e lendas locais fazem parte do imaginário de muita gente!

Algumas mais famosas, outras nem tão conhecidas, a cultura popular do Amapá reúne verdadeiras histórias de arrepiar e que dariam ótimos roteiros para filmes ou mesmo livros de terror ou mistério. 

Neste Dia das Bruxas (31), te convidamos a conhecer mais sobre as lendas e contos de assombração populares amapaenses. Veja algumas das principais que selecionamos para assombrar o seu Halloween. Confira!

Fantasmas da Fortaleza

Essa lenda é tão famosa que atraiu até a equipe do Fantástico, da Rede Globo, que gravou um episódio da série “Phantasmagoria” na Fortaleza de São José de Macapá, em 2012.

Construída por mão de obra escrava e indígena, a Fortaleza de São José começou a ser erguida no século 18. Nela, há muitos mistérios com assombrações que, reza a lenda, expulsou até guardas que ali vigiavam o local.

Halloween: veja lendas e histórias de assombração que estão no imaginário amapaense

Foto: Jéssica Alves

Barulhos vindos do desaguadouro, poço que fica no centro do forte, são os relatos mais comuns, de vozes pedindo ajuda, que seriam dos fantasmas de escravos que no passado ficaram presos no local. 

Outra história cabulosa é que muitas pessoas viram uma assombração que seria de um padre sem cabeça. Ele flutua pelos baluartes do forte e fuma um cigarro, na altura do que seria a sua cabeça, contam.

Pedra do Guindaste

Essa é uma das lendas mais famosas no estado. A Pedra do Guindaste é um monumento que fica ao lado do Trapiche Eliezer Levy, dentro do Rio Amazonas em Macapá. É um dos pontos turísticos da cidade, que tem a imagem de São José, padroeiro da capital amapaense.

Halloween: veja lendas e histórias de assombração que estão no imaginário amapaense

Foto: Edgar Vasconcelos

Além de ser um dos símbolos de Macapá, a Pedra do Guindaste tem fama devido às lendas contadas por moradores antigos da região do Igarapé das Mulheres, onde atualmente fica o bairro Perpétuo Socorro. 

A mais famosa é que embaixo da pedra há uma cobra grande, com dimensões incalculáveis, que toma a água do rio, de maneira que esta nunca conseguiu cobrir a pedra. E se a Pedra do Guindaste for retirada do Rio Amazonas, a força da água irá cobrir toda a cidade de Macapá. 

Apesar de ser conhecida como lenda, até hoje nenhuma autoridade local arriscou a sorte...vai que?!

Fantasma da Mulher Afogada

Outra lenda que envolve a Pedra do Guindaste. Mas aqui os moradores antigos relatam que no local existe um fantasma de uma mulher que teria morrido afogada. Ela aparece submergindo das águas, durante a noite. Segundo os relatos, ela parece pedir socorro para depois desaparecer.

Esse fantasma seria de uma índia da tribo dos Tucujus, que era apaixonada por um índio que todas as manhãs saía pela praia em busca de alimento. Quando ele saía, a namorada o acompanhava e lá ficava o dia todo. Num certo dia, ele não voltou. A índia ficou no local e chorou a noite toda, por dias seguidos e lá morreu.

Cobra Sofia

A lenda conta que há muito tempo existia uma aldeia próxima à Ilha de Santana, e lá vivia uma índia de olhos cor-de-mel muito linda, que estava destinada ao Deus Tupã quando estivesse em idade apropriada. 

Certa noite, enquanto banhava-se ao luar, ela foi avistada pelo boto Tucuxi, que apaixonado, transformou-se em um cisne, e encantou a índia para possuí-la. Meses depois ela engravidou e descobriu que o cisne lindo era na verdade um boto.

A índia deu à luz a uma menina, que recebeu o nome de Sofia e atirou a criança no lago e retornou à aldeia, como se nada tivesse acontecido. Arrependido, o boto transformou a criança em uma cobra d'água, evitando assim sua morte. O tempo passou e a índia estava à beira do lago quando viu uma cobra imensa, com olhos cor-de-mel. 

Era a Cobra Sofia, que procurava águas profundas para acomodar-se e afastou-se. Diz a lenda que os sulcos deixados por ela no caminho formaram o Rio Matapí.

Os mais antigos moradores da região acreditam que a cobra parou para descansar onde hoje fica localizado o antigo Porto da mineradora ICOMI, na área urbana do município de Santana. Curiosamente, em 1993 uma grande parte da plataforma desabou por força de uma misteriosa onda d'água que se formou no início do Rio Matapí. Dizem que foi a Cobra Sofia que se moveu durante o sono. Será?

Matinta Perera

Não apenas no Amapá, mas a Matinta Perera é famosa em toda a Região Norte. Trata-se de uma bruxa velha que à noite se transforma em um pássaro agourento que pousa sobre os muros e telhados das casas e se põe a assobiar, de forma sombria e assustadora. 

E ela só para quando o morador promete dar a ela algo que pede, que geralmente é tabaco, café, cachaça ou peixe. Quando ouve o assobio, o morador diz: “Matinta, pode passar amanhã aqui para pegar seu tabaco”. 

No dia seguinte, a idosa aparece na residência onde a promessa foi feita, a fim de apanhar o fumo. A velha é uma pessoa que carrega a maldição de "virar" Matinta Perera. 

Dizem ainda que a Matinta, quando está para morrer, pergunta em voz alta:" Quem quer? Quem quer?" Se alguém responder "eu quero", pensando em se tratar de alguma herança de dinheiro ou joias, recebe a maldição e se torna a Matinta Perera.

Poço do Mato

Quem mora no bairro Laguinho certamente já ouviu falar de um gato preto que assombrava os antigos moradores da região. Ou então de um homem que andava engatinhando por ali. 

Essas são algumas das lendas do Poço do Mato, monumento histórico da cidade criado na segunda metade do século XX para fornecer água aos moradores do antigo bairro em Macapá, que ainda era uma vila.

Halloween: veja lendas e histórias de assombração que estão no imaginário amapaense

Foto: Fidanza/ Reprodução Porta Retrato Macapá Antiga

O poço foi construído em uma área de mata e, por isso, se tornou uma grande fonte com lendas e histórias arrepiantes de assombrações de pessoas sentadas em volta do poço, pessoas cantando e uma mulher que atraía homens para o meio do mato, e virava uma caveira. Sinistro, não?

Ah, o Poço do Mato foi declarado, em 1993, como monumento de interesse cultural do município de Macapá, por meio de lei da Câmara Municipal. E você, já conhecia essas lendas e histórias de assombração?

 

Foto/Capa: Jéssica Alves. 

 

Compatilhe no Facebook
Compatilhe no Twitter
Publicidade