Terça, 24 Novembro 2020
Égua, mano!
Entretenimento. Esqueça o resto.
GAMER TEAM LIQUID PSK1 RAINBOW SIX

E-Sports: conheça a história de conquistas do player amapaense PSK1

Jogador integra a Team Liquid, um dos maiores times de jogos eletrônicos do mundo.

Paula Monteiro - 31 de Julho de 2020

Paulo Augusto Arneiro, mundialmente conhecido como PSK1, é um dos jogadores mais respeitados no universo dos jogos eletrônicos. O jovem, de 26 anos, nasceu em Fernandópolis, em São Paulo, mas mudou-se ainda pequeno com a família para o Amapá. Atualmente, ele integra a equipe da Team Liquid, que segue líder do Campeonato Brasileiro de Rainbow Six (BR6).

PSK1 despertou interesse nos games por volta dos 13 anos, jogando console (PlayStation, Super Nintendo) com amigos e primos. Logo, a brincadeira de adolescente virou coisa séria e levou o jovem a alçar voos mais altos, em competições nacionais e fora do Brasil ao lado de grandes jogadores.

“Minha carreira profissional iniciou mais ou menos em 2016 quando comecei a ganhar dinheiro jogando em um time profissional, eu já estava jogando Rainbow Six. Comecei a jogar pela Assault Team no final de 2016, durante 3 meses”, conta.

PSK1 precisou apenas começar. Não demorou a chamar a atenção de outros times. “A partir daí, comecei a receber convites para outros times. No final de dezembro do mesmo ano, recebi um convite da paiN Gaming, que na época era um dos maiores times que tinha no Brasil, onde joguei seis meses sendo dividido em duas partes. No primeiro semestre de 2017, fiquei três meses, joguei na Pro League, 1ª edição, ficamos em 4º lugar, quase fomos para a Polônia jogar a final. No segundo semestre de 2017, eu voltei pra paiN já na temporada 3 da Pro League e acabamos ficando em 5º ou 6º, não tivemos um desempenho tão bom”, lembra o jogador.

Com a fase ruim, PSK1 ficou balançado e decidiu dar uma pausa na carreira. “Nessa época, resolvi dar uma parada porque eu queria ajudar os meus pais e também estava sentindo muita falta deles. Eu não estava com um psicológico muito bom, já não conseguia conciliar a distância e isso estava me fazendo muito mal”, admitiu.

Já em 2018, mesmo longe das competições, PSK1 recebeu uma proposta irrecusável que mudaria sua vida. “Recebi um convite do André, na época ele era coach, hoje é o nosso team manager do Rainbow Six da Liquid no Brasil, me convidando para ser analista e ajudá-lo nas staffs. Como na época eu tinha acabado de falar que ia parar de jogar, estava meio baquiado e confuso, falei com meus pais que me aconselharam a fazer o que o meu coração mandasse”, conta.

Continua: “Poucos dias após eu ter entrado na Team Liquid, um dos players acabou sendo kickado, ele precisou sair, um deles sugeriu o meu nome como player provisório até achar outra pessoa. Eu estava há alguns meses parado, tentei me dedicar ao máximo. Jogamos a classificatória brasileira da Pro League aqui, ficamos em segundo lugar, mas o primeiro e segundo lugar aqui do Brasil ia disputar lá fora com dois representantes de cada continente. Fomos com o intuito de se divertir e ganhamos. Foi uma felicidade enorme porque nós somos o primeiro time brasileiro de Rainbow Six a ganhar uma Pro League e o único porque hoje não existe mais, esse título acabou ficando para a história”, disse orgulhoso.  

Entre altos e baixos, saídas e retorno ao Team Liquid, PSK1 coleciona diversas vitórias dentro e fora do Brasil com a camisa azul e branca. Uma das conquistas mais emblemáticas da cavalaria em terras tupiniquins foi o título de campeão do Brasileirão de Rainbow Six: Siege 2019, sediada no Parque Olímpico do Rio de Janeiro.

“Agora em 2020, fomos campeões brasileiros da Pro League, que foi cancelada por conta do coronavírus.  Neste ano, ainda teremos campeonatos muito importantes e estamos muito focados nos títulos. Integrar a Team Liquid é a realização de um sonho”, finaliza.  

 

 

Compatilhe no Facebook
Compatilhe no Twitter
Publicidade