Terça, 03 Agosto 2021
Égua, mano!
Entretenimento. Esqueça o resto.
MÚSICA LANÇAMENTO CARIMBÓ MARABAIXO

Cantor amapaense Loham se destaca em Goiás e lançará novo videoclipe “Pretou, Brilhou”

Artista fez sua estreia musical com o álbum Igarapé Elétrico que traz ritmos do norte do país.

Jessica Alves - 03 de Outubro de 2020

A marca nortista do carimbó e marabaixo, aliado ao rock e música eletrônica compõem o trabalho do cantor Loham, nascido e criado em Macapá, mas que aos 30 anos se descobriu artista, quando já morava em Goiás. Lá, ele ganhou destaque no cenário musical, apresentando sua origem amazônida e os ritmos do extremo norte do país.

Agora, o artista se prepara para lançar o seu novo videoclipe, da música “Pretou, Brilhou”, no dia 10 de outubro. A canção é baseada na própria descoberta artística que Loham teve, em 2018, e faz parte do álbum lançado em 2020, “Igarapé Elétrico”.

“Eu me envolvia com a arte, mas não conseguia identificar qual era a minha forma de fazer. Até que aos 30 anos, comecei a fazer aula de canto e a escrever poesias, além de compor minhas primeiras canções. As músicas vêm com melodia, consigo imaginar tempo, ritmo, instrumentos, é um processo completamente orgânico”, explica o artista. 

Assim, em 2020, ele iniciou a divulgação do seu primeiro disco com dez faixas em casas de show de Goiânia, e realizou um show em São Paulo. Mas logo veio a pandemia e os projetos foram interrompidos. Contudo, a internet se tornou sua grande aliada.

Cantor amapaense Loham se destaca em Goiás e lançará novo videoclipe “Pretou, Brilhou”

“Eu ainda estou trabalhando na divulgação do Igarapé Elétrico, pretendo lançar mais clipes para divulgação do disco. Aqui houve flexibilização, mas não acredito que seja seguro, inclusive fui contaminado pela Covid. Mas os trabalhos seguem mesmo com o isolamento”, disse Loham. 

Destaque do Norte 

A  oportunidade de apresentar elementos da cultura amapaense não se limita apenas a música. Loham fez questão de buscar artistas da terra para trabalhar com ele na produção e divulgação de seu trabalho. E para os músicos que gravaram com ele, e que são naturais de Goiás, o vocalista mostrou as referências da música amapaense.

“Mostrei vídeos do Paulo Bastos ensinando como se toca o Marabaixo e foi bem interessante ver os músicos aprendendo e ouvindo o que é produzido na nossa terra. Ao mesmo tempo, tenho o desafio de manter minha personalidade e identidade sonora dentro de tantas referências e interferências, a linha entre inovação e descaracterização é muito tênue”, afirma.  

Esse diferencial se destacou em terras goianas. A estranheza inicial de nomes como Igarapé Elétrico, Pupunha, entre outros logo foi substituída pelo ritmo contagiante do som nortista.

“No Amapá não foi diferente, houve surpresa de muita gente que já me conhecia porque eu realmente comecei na música um pouco ‘tarde’, mas as mensagens que recebi foram de muito orgulho por verem mais um novo artista amapaense valorizando nossa cultura”, destaca.

Trajetória

Apesar de desde a infância gostar de arte e música, inclusive sendo incentivado pelo avô, que profetizou que ele iria ser cantor, Loham demorou para iniciar sua trajetória musical, pois precisava trabalhar em outras áreas.

“Fui crescendo com a ideia de que era prioridade pagar os boletos para sobreviver e vez ou outra me envolvia em algum projeto artístico, cheguei a lançar uma marca de camisetas ilustradas por artistas amapaenses e depois, já em Goiânia, me envolvi em um projeto com ilustrações baseadas em histórias reais”, recorda Loham. 

Após se descobrir cantor, Loham começou as suas composições. Uma delas, "New Age", ocorreu em um momento difícil, quando ele cuidava de um familiar que passava por depressão.

“Essa jornada também acabou me afetando, foi a partir dessas experiências que compus "New Age", uma das faixas do meu primeiro CD. Tem uma hora que a gente se dá conta e pergunta, o que realmente é importante nessa vida? Pra mim música é vida”, disse. 

E com referências em Patrícia Bastos, Paulo Bastos, Fineias Nelluty, Amadeu Cavalcante, Banda Negro de Nós, Zé Miguel, Mini Box Lunar, Jorge Ben Jor, Clara Nunes, Ney Matogrosso, Novos Baianos, Lulu Santos, Cazuza, entre outros, ele continuou a sua jornada na música. 

O que vem por aí

Além de “Pretou, Brilhou”, Loham trabalha para lançar a faixa "Tertúlia", uma canção que não entrou em seu primeiro disco, mas será lançada em formato digital- ainda sem data definida. Com muitas canções escritas, ele espera lançar um novo álbum a partir de 2021. Vamos aguardar!

Acompanhe o trabalho de Loham:

Site oficial, clique AQUI

Spotify  

YoutTube

Instagram 

Facebook

 

Compatilhe no Facebook
Compatilhe no Twitter
Publicidade